Terça, 20 de Outubro de 2020
86994186882
Política Fiscalização

Ciro entra com representação no TCU para barrar pagamento do Governo do Piauí à FGV

A Fundação enviou cobrança ao governo do valor de R$ 72,4 milhões a título de honorários pela liberação dos precatórios do Fundef

13/08/2020 09h05 Atualizada há 2 meses
Por: Carol Rodrigues
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O senador Ciro Nogueira, presidente nacional do Progressistas, informou na tarde de hoje que entrou com representação junto ao TCU (Tribunal de Contas da União) para que recursos dos precatórios do Fundef no montante de R$ 72,4 milhões não sejam repassados à FGV (Fundação Getúlio Vargas).

A Fundação está cobrando ao governo valores supostamente devidos em função do trabalho realizado pela entidade na liberação dos recursos junto ao governo federal. Seriam pagamentos de honorários, conforme revelamos.

Ele disse que o uso desses recursos para esse fim não apenas é ilegal, como também representa um risco à ordem e à economia pública. “Esse recurso precisa ser investido na educação, não em pagamentos que não contribuem em nada com a qualidade do ensino no nosso estado”, destacou.

Ciro disse que o dinheiro do Fundeb “é para a educação.”

O senador progressista acentuou que “esse é um recurso que precisa ser investido no futuro dos nossos jovens, com melhorias na estrutura das escolas, capacitação e remuneração de professores e mais iniciativas de fortalecimento da educação básica.”

Nogueira diz ter encaminhado ofícios ao governador Wellington Dias e ao secretário de Educação, Ellen Gera, requisitando acesso aos processos de contratos entre o governo do estado e a FGV. (Toni Rodrigues

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.