Terça, 20 de Outubro de 2020
86994186882
Política Piauí

Construtoras de Felipinho podem faturar até R$ 58,4 milhões

O empresário conta com duas empresas construtoras registradas em seu nome, ambas prestando serviços para o estado; não perde uma habilitação.

18/08/2020 14h16 Atualizada há 2 meses
Por: Francisco Lima
Na foto, Felipinho aparece ao lado do vereador Inácio Carvalho durante entrega de homenagem como Jovem Empreendedor (Foto/Reprodução CMT)
Na foto, Felipinho aparece ao lado do vereador Inácio Carvalho durante entrega de homenagem como Jovem Empreendedor (Foto/Reprodução CMT)

A empresa Poty Construtora e Empreendimentos Imobiliários Ltda é o que se pode chamar de campeã de licitações e de faturamento do estado. Atua em várias secretarias e em todas elas alcança os seus objetivos, ser escolhida e, supostamente, realizar obras em favor do estado.

Um verdadeiro Ronaldinho do ramo das empreiteiras em nível mafrense.

A empresa tem capital social de R$ 600 mil. Funciona na sala 1107, do edifício The Office Tower, na avenida Senador Cândido Ferraz, zona leste de Teresina.

Seu proprietário, Felipe de Santana Machado, é tido nos bastidores da política piauiense como amigo do peito e irmão camarada do secretário de Fazenda, Rafael Fonteles. 

Jovem, com 34 anos, tem se notabilizado em função do grande volume de contratos amealhados junto ao governo e principalmente por conta do montante de recursos que representam estes contratos.

O jovem empresário não gosta de badalação. É o contrário do Grande Getsby, do autor americano F. Scott Fitzgerald. Mas o reconhecimento em torno da sua figura é inevitável.

Conhecido como Felipinho, justamente em virtude da sua pouca idade, o crescimento da receita de sua empresa é considerado fabuloso pelos especialistas do meio, haja vista que em 2017 ele faturou cerca de R$ 6,262 milhões.

Já em 2018, ano da eleição que conduziu Wellington Dias (PT) ao seu 4° mandato, a empresa do jovem e potente empresário faturou R$ 33,734 milhões.

O crescimento foi superior a 500%. Mas as boas notícias sobre este jovem empreendedor não param por aqui.

No ano de 2019, estima-se que a empresa de Felipinho tenha superado a casa dos R$ 10,7 milhões.

“Esse cara é uma potência. É o famoso Felipinho”, diz um empresário da capital.

“Esse rapaz tinha um banda de forró. Faz pouco tempo. Tentava a vida na noite de Teresina e outras cidades do Piauí. Claro que não tava dando certo, porque o ramo dele era outro. Ele se descobriu como empreiteiro, montou essa construtora e em poucos anos vem obtendo esse crescimento espantoso e surpreendente”, comentou.

Foram cerca de R$ 44,475 mil faturados entre 2017 e 2019. A previsão de faturamento para 2020 era de R$ 14 milhões aproximadamente.

Com o coronavírus e a crise econômica gerada pela quarentena é provável a meta não seja alcançada. Mas Felipinho espera chegar bem perto disso. Para orgulho de todos os seus amigos e admiradores. 

Felipe de Santana Machado não é apenas um rapaz que nasceu para a lua. Ele também é estratégico.

Possui duas empresas em seu nome. Ambas registradas para fins de construção civil.

Além da já mencionada Construtora Poty (CNPJ: 17.323.084/0001-05), é proprietário também da Felipe de Santana Machado EPP, que tem nome de fantasia Solução Construtora e Empreendimentos.

O CNPJ da empresa é 24.667.970/0001-03. Mas o endereço é o mesmo, com a pequena diferença de que a Solução funciona na sala 1105.

A empresa foi contratada pela Secretaria de Turismo por meio da concorrência pública 001/2017 para construção de calçamento em paralelepípedo nos municípios de Caxingó, Bela Vista do Piauí, Nossa Senhora de Nazaré, São José do Piauí e São João da Fronteira.

No contrato 002/2017, foi contratada para fazer calçamento nos municípios de Castelo do Piauí, Guaribas, Itainópolis e Valença do Piauí. No contrato 003/2017 contratou-se a construtora Poty para fazer calçamento em Buriti dos Lopes, Curral Novo, Buriti dos Montes e Carabol. Felipinho ganha todas as habilitações.

Já como empresa Felipe de Santana Machado EPP foi contratado pelo Idepi (Instituto de Desenvolvimento do Piauí) pela quantia de R$ 308,668 mil. O contrato foi assinado em 30 de outubro de 2019 entre Felipinho e Leonardo Sobral Santos, diretor-presidente do Idepi.

Não existe no extrato publicado pelo Diário Oficial do Estado nenhuma indicação sobre a finalidade do contrato.

A mesma empresa Felipe de Santana Machado EPP (Solução) foi contratada pela Secretaria de Turismo do estado em compromisso aditado na data de 8 de março de 2019.

Representando a Setur, assina o contrato Bruno Ferreira Correia Lima. Não existe detalhamento do objeto contratado nem valores a serem aplicados no contrato. (Toni Rodrigues)

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.